As redes sociais como ferramentas de Gestão de Pessoas

Tempo de leitura: 6 minutos

Trocar experiências, compartilhar ideias e expressar opiniões nas redes sociais para muitos é algo cotidiano. Por ser um ambiente informal e livre, as pessoas se sentem à vontade para publicar seus pensamentos, atitudes, crenças e valores; a forma como lidam com o trabalho, com os amigos e com a família; os seus hábitos do dia a dia e, algumas vezes, até segredos inconfessáveis.

Por isso, os perfis nas redes sociais são, geralmente, o reflexo natural do que as pessoas vivem no mundo real. E algumas empresas passaram a utilizar dessas tecnologias e informações como ferramentas estratégicas nos subsistemas e processos de recursos humanos.

Mas como isso deve ser feito? Como as empresas podem utilizar as redes sociais como ferramenta para gestão de pessoas?

O uso das mídias sociais como um recurso para a gestão de pessoas pode acontecer tanto para o recrutamento de novos colaboradores como para implementação de estratégias de comunicação e relacionamento com pessoas já fazem parte do quadro de funcionários da organização. Continue a leitura e confira nossa lista com alguns exemplos de aplicação das redes sociais no ambiente organizacional.

Estratégia de atração e retenção de talentos

Em tempos difíceis, torna-se cada vez mais importante o processo de recrutamento e seleção de profissionais diferenciados para os negócios. E conhecendo o perfil dos profissionais que interessam a uma empresa, é possível monitorar seu comportamento, hábitos, preferências, gostos etc. Produzir conteúdo para atrair sua atenção ou que gere admiração e motive os que já estão numa organização se tornou uma das práticas de algumas corporações na estratégia de atração e retenção de talentos.

“O Google ao publicar um vídeo no YouTube que mostra o quanto seu escritório é divertido, possui benefícios interessantes, como sala de jogos, máquinas de refrigerante e chocolate irrestrito, demonstrando as pessoas felizes, satisfeitas e bem-sucedidas. Ela atrai mais talentos do que imaginamos. E motiva os que já possui.”

Recrutamento e seleção (R&S)

Monitorar ou consultar o perfil dos profissionais nas redes sociais vem se tornando uma prática comum nas empresas. Principalmente perfis de candidatos participantes de processos seletivos. É uma forma de conhecer melhor as suas opiniões, valores e personalidade. Assim, os profissionais de RH encontraram nas redes sociais uma fonte valiosa de informações.

Além disso, head hunters (ou caça-talentos), que antes demandavam de técnicas avançadas e muito tempo para encontrar profissionais especializados ou de difícil acesso nas empresas como gerentes, diretores, VPs, CIOs, CEOs etc, agora podem utilizar redes sociais como o LinkedIn para descobrir e abordar de forma sigilosa esses profissionais, com opções de busca por cargo, por segmento ou pelo nome de uma empresa.

Treinamento e desenvolvimento (T&D)

Várias empresas utilizam suas redes internas ou redes corporativas para publicar apostilas, manuais, vídeos de treinamento de liderança, treinamentos gerenciais, treinamentos de vendas, vídeos demonstrativos e de aplicação de produtos, vídeos contendo uso de ferramentas ou softwares para dar apoio aos treinamentos profissionais individuais ou coletivos. São apenas algumas formas de melhorar a capacitação profissional e disponibilizar fonte de consulta sobre melhores práticas e processos.

Nas redes sociais, por exemplo, é possível que um profissional discuta seus problemas e dúvidas de forma rápida. Isso viabiliza o desenvolvimento de soluções colaborativas em parceria com quem já vivenciou algo similar. Além disso, a empresa pode rapidamente solucionar dúvidas ou responder a questionamentos dos colaboradores sobre os assuntos abordados nos treinamentos.

Gestão do conhecimento

As redes sociais permitem construir conhecimento com a participação de várias pessoas. Com isso, é possível centralizá-lo em um ambiente de forma que novos profissionais, ao ingressarem na organização, possam encontrar, adquirir e contribuir na ampliação e melhoria da informação.

Portanto, as redes sociais podem ser uma excelente ferramenta para manter na organização o conhecimento que pertence às pessoas, mesmo que um dia elas se desvinculem da companhia.

Monitoramento de profissionais e equipes

Outra forma de encontrar informação importante é monitorar perfis de funcionários nas redes corporativas para saber como eles se relacionam com a empresa, com a sua equipe e com seus líderes e subordinados. O objetivo é identificar possíveis oportunidades, monitorar questões relacionadas ao clima organizacional e possíveis conflitos e ainda encontrar soluções e coletar feedbacks.

Além disso, os profissionais do setor de gestão de pessoas podem monitorar tudo o que os funcionários da empresa compartilham nas suas redes, podendo assim ter um melhor desempenho ao elaborar um plano de carreira para uma determinada pessoa, por exemplo.

Acompanhamento sobre o que os colaboradores falam da empresa

Além de utilizar as mídias sociais como uma forma de relacionamento com os públicos externo e interno, os gestores de RH também podem utilizar as plataformas para verificar e monitorar como esses funcionários estão abordando a empresa na internet.

É bastante comum, por exemplo, que funcionários descontentes difamem e falem mal da organização nas mídias. Isso, inclusive, pode ser motivo para demissão por justa causa, pois gera danos para a imagem da empresa.

O mais importante, entretanto, é identificar oportunidades de diálogo com o colaborador.

Comunicação interna

Cada vez mais as empresas estão se convencendo de que as estratégias de comunicação interna são tão importantes quanto aquela destinada ao público externo, como fornecedores e clientes. Por esse motivo, os setores de gestão de pessoas das empresas estão cada vez mais envolvidos com as ferramentas tecnológicas da atualidade e mantendo profissionais da comunicação como jornalistas e relações públicas em sua equipe de gestão.

As mídias sociais podem ser utilizadas por esse setor, por exemplo, para a emissão de comunicados, que antes eram feitos em memorandos ou circulares internos. É claro que essas publicações não podem ser feitas de forma pública, pois as demais pessoas não têm interesse ou não podem ter acesso a esse tipo de informação. Mas podem ser criados ambientes fechados para a comunicação interna como grupos dos funcionários no Facebook ou no WhatsApp.

Retenção de talentos

A rotatividade de colaboradores é algo extremamente prejudicial para qualquer empresa. Por isso, criar estratégias para a retenção de talentos é algo que sempre deve ser pensado pelos responsáveis do setor de gestão de pessoas.

E uma boa estratégia para manter os funcionários na empresa pode ser a liberação do uso das mídias sociais em computadores da organização, uma vez que muitas pessoas têm prazer em acessar as suas redes. É claro que, após fazer isso, é necessário criar políticas de uso para que não haja exageros.

Essas são algumas das formas de utilizar as redes sociais como ferramentas de Gestão de Pessoas. E então, está pronto para colocá-las em prática na sua empresa? Deixe um comentário no espaço abaixo e conte para a gente as suas expectativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *